ANTIGO TESTAMENTO  

SALMOS - 95 A 150 (áudio Di Okipney) 

Os Salmos, metade dos quais é atribuída por suas inscrições a Davi, o suave cantor de Israel, em geral procedem da idade áurea de Israel, por volta do ano 1000 a.C. Sem a menor dúvida, alguns foram escritos mais tarde, na época do cativeiro (por exemplo, o Salmo 137). Os salmos expressam verdades profundas num estilo poético, com a intenção de penetrar os recônditos do coração. Devem ensinar-nos que o conhecimento intelectual não é suficiente; o coração deve ser alcançado pela graça redentora de Deus. A poesia hebraica não consiste no rítimo, mas principalmente na repetição de pensamentos apresentados em cláusulas paralelas, como, por exemplo: "Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniquidades" (103:10). Se prestarmos atenção a este paralelismo, poderemos, às vezes, interpretar palavras obscuras mediante o paralelo mais claro. Outro recurso que se emprega com freqüência no artifício poético é a dramatização. Davi não escreve para si próprio. Escreve para outros. O salmista escreve para todos nós, e podemos apropriarmos de que aqui também Davi escreve às vezes na primeira pessoa do singular; não obstante isso, proporciona-nos pormenores vividos das experiências do Messias.

Cerca da metade dos salmos pode ser classificada como orações de fé proferidas em épocas de angústia. Salmos tão preciosos como os de número 23, 91, 121 e muitos outros, sustentam-nos nos momentos de necessidades mais urgentes. Seria bom que apredêssemos de cor estes salmos e os repetissemos com freqüência, a fim de fortalecer-nos com a Palavra quando a hora da provação nos apanha de surpresa. Mais ou menos 40 salmos são dedicados ao tema do louvor. A nota de louvor a Deus deve constituir-se em uma parte da respiração mesma do crente, e salmos tais como os de números 100 e 103 devem figurar com proeminência em nossas devoções.

É difícil fazer uma classificação minuciosa dos salmos, visto como são obras profundamente poéticas, e um salmo pode tratar de assuntos diferentes. Sugerimos, contudo, várias categorias: os salmos do homem justo são representados pelos de números 1, 15, 101. 112 e 133. Seis poderiam denominar-se salmos messiânicos: 2, 21, 45, 72, 110 e 132. Os salmos 32 e 51 são chamados, de modo geral, penitenciais, juntamente com partes dos salmos 38, 130 e 143. Os salmos imprecatórios pedem vingança sobre os inimigos de Deus; são eles: 69, 101, 137 e parte dos salmos 35, 55 e 58. Há, pelo menos, quatro salmos históricos: 78, 81, 105 e 106. Dois ressaltam a revelação: 19 e 119.

Os salmos messiânicos que se referem a Cristo, no Novo Testamento, são: 2, 8, 16, 22, 40, 41, 45, 68, 69, 89, 102, 109, 110 e 118. Alguns destes são tipicamente messiânicos, isto é, escritos a respeito de nossas experiências em geral, mas aplicados a Cristo. Outros são diretamente proféticos. Os salmos 2, 45 e 110 predizem o Rei messiânico. No salmo 45:6, o Messias é Deus; no 110, é ele o Sacerdote, Rei e Senhor de Davi; no salmo 2, é o Filho de Deus que deve ser adorado. Outros salmos fazem referência a seus sofrimentos (22), seu sacrifício (40), sua ressurreição (16:10, 11). No salmo 89, ele é quem completa a aliança davídica em cumprimento das esperanças de Israel. .

 

Autor:

Segundo os títulos, Davi foi o autor de 73 salmos; Asafe, de 12. Os filhos de Coré, 11; Salomão, 2; Moisés e Etã um cada um. No caso de 50 salmos, não se menciona seu autor. A versão dos Setenta ou Septuaginta acrescenta Ageu e Zacarias como autores de 5 salmos.

O valor das inscrições tem sido posto em dúvida, mas é evidente que figuravam muito antes do ano 200 a.C., visto que a Versão dos Setenta, traduzida em torno dessa época, interpretou erroneamente várias das anotações musicais dos títulos. As composições poéticas que figuram nos livros históricos da época do pré-exílio assinalam o uso semelhante de inscrições (Habacuque 3:1; Isaias 38:9; II Samuel 1:17; 23:1). O salmo 18, atribuido a Davi por sua inscrição, também se diz em II Samuel 22:1 que foi escrito por ele. Esta reputação de Davi como músico é mencionada repetidamente (II Samuel 23:1; I Samuel 16:18; Amós 6:5). Os livros das Crônicas explicam com clareza que Davi organizou coros no templo e compôs salmos para eles (I Crônicas 16:4, 5; 25:1-5). As expressões musicais enigmáticas das inscrições acham-se freqüentemente relacionadas pelo livro das Crônicas com este trabalho de Davi (I Crônicas 15:20, 21; 16:4; compare os títulos dos salmos 12, 38, 46; e 105:1; 148:1 e outros). Finalmente, o Senhor Jesus Cristo fundamentou um importante argumento sobre a validez do título do salmo 110 (Marcos 12:36). Não parece existir prova positiva contra o ponto de vista tradicional de que a maior parte dos salmos foi escrita em torno do ano 1000 a.C., como afirmam as inscrições. As novas provas derivadas dos pergaminhos do mar Morto descartam a idéia de que a escritura de alguns salmos se estendeu até ao segundo século antes de Cristo conforme o sustentaram alguns exegetas no passado.

 

-

R. Laird Harris

Doutor em Filosofia e Letras

Cap.95 - O Salmista convida a louvar o Senhor.

Cap.98 - Exortação a louvar o Senhor. Cantai ao Senhor.

Cap.96 - Convite a toda a terra para louvar e temer ao Senhor

Cap.99 - Exortação a adorar a Deus no seu santo monte.

Cap.97 - A majestade do reino de Deus. O Senhor...


Cap.100 - Exortação a exaltar o Senhor...

Cap.103 - Convite a louvar a Deus pela sua graça...

Cap.106 - A rebelião de Israel e a misericórdia de Deus.

Cap.109 - Davi roga a Deus o castigos dos ímpios.

Cap.112 - A felicidade daquele que tema a Deus.

Cap.115 - A glória do Senhor e a vaidade dos ídolos.

Cap.118 - O salmista louva a Deus pela sua misericórdia.

Cap.121 - Deus é o guarda fiel de seu povo.

Cap.124 - Só Deus pode livrar seu povo.

Cap.127 - Segurança, properidade e fecundidade vêm só de Deus.

Cap.130 - A esperança do perdão. Das profundezas...

Cap.133 - A excelência do amor fraternal.

Cap.136 - Deus é louvado pela sua misericórdia.

Cap.139 - A onipresença e a onipotência de Deus.

Cap.142 - Oração no meio de dificuldade.

Cap.145 - A bondade, grandeza e providência de Deus.

Cap.148 - Toda a criação deve louvar. Lovai ao Senhor...

Cap.101 - Davi promete a Deus andar perante Ele...

Cap.104 - A glória de Deus é manifestada na criação....

Cap.107 - A bondade de Deus em proteger todos os homens.

Cap.110 - O Reino do Messias. Disse o Senhor...

Cap.113 - Exortação a louvar a Deus. Louvai ao Senhor...

Cap.116 - Amor e gratidão a Deus pela sua salvação.

Cap.119 - A excelência da lei do Senhor.

Cap.122 - Oração pela paz de Jerusalém.

Cap.125 - A segurança daquele que confia em Deus.

Cap.128 - Aquele que teme a Deus será abençoado na sua família.

Cap.131 - A humildade do salmista. Senhor o meu coração

Cap.134 - Exortação a bendizer ao Senhor.

Cap.137 - Saudades da pátria. Junto aos rios...

Cap.140 - O salmista ora para que seja guardado.

Cap.143 - O salmista ora por libertação.

Cap.146 - A fraqueza do homem e a fidelidade de Deus.

Cap.149 - Os fiéis louvam a Deus. Louvai ao Senhor...

Cap.102 - O salmista recorre a Davi para que restabeleça...

Cap.105 - O cuidado de Deus pela sua aliança com o povo.

Cap.108 - Davi louva a Deus por suas promessas de socorro.

Cap.111 - Deus é louvado por amor das suas obras maravilhosas.

Cap.114 - Exortação a temer a Deus. Quando Israel...

Cap.117 - Deus é louvado. Louvai ao Senhor...

Cap.120 - O salmista ora por livramento.

Cap.123 - A oração do crente desprezado.

Cap.126 - Deus é louvado porque fez retirar do cativeiro o seu povo...

Cap.129 - Israel é perseguido, mas não destruído.

Cap.132 - O zelo de Deus pelo templo e pela arca.

Cap.135 - Deus é louvado pela sua bondade.

Cap.138 - Ação de graças a Deus por amor da sua fidelidade.

Cap.141 - Oração para preservação no meio da tentação.

Cap.144 - Ação de graça pela proteção de Deus.

Cap.147 - Exortação ao louvar ao Senhor.

Cap.150 - O salmista exorta toda a criatura...



60 - O Poder da Palavras .                                        ...